Marapa

 

É com satifação que vemos o bom andamento que a Marapa está a dar ao Programa Tatô em S. Tomé. Numa tentativa de melhorar o trabalho e resultados do programa de conservação de tartarugas marinhas em S. Tomé, a Marapa tem feito esforços consideráveis nos contactos com parceiros locais e internacionais (como a ATM), re-estruturação do programa, e formação dos guardas.

 

É assim que a Marapa anuncia na sua página o lançamento do Programa Tatô de proteção das Tartarugas Marinhas nas praias de Santana e da parceria celebrada entre o CLUB SANTANA, a ONG TERRA CRIOULA – Associação para a Cooperação e Desenvolvimento de São Tomé e Príncipe e a ONG MARAPA (responsável pelo projecto), cuja implementação irá prolongar-se até Setembro de 2013. Este programa associa o seguimento científico das populações de tartarugas a acções de protecção e ao ecoturismo.

 

Nesse sentido, foram definidas áreas de monitorização nas praias que participam neste projecto na ilha de São Tomé. Em Santana, foram definidas as praias de Messias Alves, Praia Forma, Praia Jigá e Praia Cumprida. Foram selecionados e formados dois ecoguardas, provenientes da comunidade local, que serão responsáveis pelo patrulhamento nocturno das praias, transplantação e análise dos ninhos de tartarugas e libertação dos filhotes no mar. Este mecanismo permitirá a criação de emprego ao nível local, assim como a prestação de serviços ecoturisticos de observação e libertação dos filhotes de tartarugas.
 

Durante a primeira semana de Outubro de 2012, o CLUB SANTANA e a TERRA CRIOULA assinalam o arranque oficial deste projecto em Santana através de acções que incluem a colocação de um painel alusivo à iniciativa na praia junto ao CLUB SANTANA, a divulgação da parceria nos meios de comunicação social e na localidade de Santana.
 

O CLUB SANTANA reconhece que o sector privado deve, através de uma visão de responsabilidade social, ser uma parte integrante nas estratégias de apoio ao desenvolvimento das populações residentes nas áreas envolventes, e na valorização dos recursos locais. Tendo em conta a situação privilegiada do hotel CLUB SANTANA na praia de Messias Alves e as boas relações existentes com a população, em particular com a intervenção da ONG TERRA CRIOULA, e visto ambas partilharem da estratégia da MARAPA no que diz respeito à preservação das espécies de tartarugas marinhas e o seu contributo para a biodiversidade e desenvolvimento económico local, estas três entidades decidiram unir esforços na preservação deste património biológico em algumas das praias do Distrito de Cantagalo.
As actividades de protecção das tartarugas marinhas tiveram início no arquipélago de São Tomé e Príncipe em 1996, tendo já sido apoiada por fundos externos através dos programas: ECOFAC (Ecossistemas Fragilizados da África Central), RAPAC (Rede de Áreas Protegidas da África Central) e FFEM (Fundo Francês para o Ambiente Mundial).
 

Esta iniciativa permitirá aos habitantes locais retirar benefícios económicos a partir da salvaguarda deste património natural pela conservação das diferentes espécies de tartarugas marinhas.