A introdução de espécies exóticas (ou seja, que não são nativas daquele habitat), de vegetação de crescimento rápido em áreas de desova, pode ser prejudicial para as tartarugas marinhas, eliminando a vegetação natural e invadindo as áreas de desova. As raízes também podem ser um problema pois destroem os ninhos causando a mortalidade dos ovos.

A introdução de espécies exóticas marinhas, como espécies de algas e animais em zonas de recifes de coral, pode ser devastador, evitando os corais de crescerem e de se reproduzirem, prejudicando a disponibilidade de alimento de algumas espécies de tartarugas marinhas e de outros animais que dependem deste tipo de habitat. O crescimento rápido de algas exóticas, prejudica não só o crescimento dos corais, como invade tocas de peixes e locais onde habitualmente as tartarugas descansam e se protegem, diminuindo também a disponibilidade de alimento.