As tartarugas ou quelónios são répteis da ordem Testudinata, que caracterizam-se por ter o corpo protegido por uma carapaça óssea. Enquanto alguns permaneceram em ambientes terrestres (jabutis e tartarugas gigantes), outros procuraram água doce (cágados) ou aventuraram-se para o mar (tartarugas marinhas), evoluindo e diferenciando-se de outros répteis.

 

 aaa

aaaa

aaaa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Várias foram as modificações que permitiram aos quelónios sobreviver durante tanto tempo e adaptar-se a novos ambientes. O número de vértebras diminuiu e as que sobraram fundiram-se às costelas, formando uma carapaça resistente, mas leve e achatada, permitindo um maior hidrodinamismo.

 

Possuem patas anteriores grandes e modificadas em forma de barbatana, parecem “voar” enquanto nadam, deslocando-se com rapidez e agilidade. As patas traseiras são modificadas em forma de remo. A cabeça é relativamente grande e não pode ser escondida dentro da carapaça, como acontece com outras espécies de tartarugas.
 
 
São répteis de pele seca, coberta por placas, regulando a temperatura do corpo pela temperatura ambiente. A respiração é pulmonar, podendo permanecer um longo período debaixo de água, quer em repouso quer em busca de alimento e mergulhar a grandes profundidades. Para tal, o organismo funciona lentamente, o coração bate devagar e têm baixo nível metabólico. Bebem água do mar, e possuem órgãos e fisiologia especializados para manter o balanço de sais. As tartarugas não são animais de cérebro evoluído, mas têm a visão, o olfacto e a audição extremamente desenvolvidos, além de uma fantástica capacidade de orientação. Tudo para se adaptarem à vida no mar.
 
São espécies de vida longa, embora não haja comprovação científica da idade que podem atingir. Não alcançam a maturidade sexual a partir de um tamanho uniforme. A passagem pela puberdade pode ocorrer entre os 15 e os 50 anos, ou mais, dependendo da espécie e da área geográfica.
 
Migradoras em potencial e excelentes navegadoras, nadam centenas de quilómetros durante as migrações entre as áreas de alimentação e as de reprodução e passam a maior parte da vida no mar.