As tartarugas marinhas surgiram na Terra há aproximadamente 150 milhões de anos. Tiveram a sua origem na terra, tendo evoluído e se diferenciado de outros répteis durante a sua aventura para o mar. A maioria das tartarugas marinhas que existiram nessa era, está hoje extinta. As que sobreviveram, espalharam-se por todos os oceanos e diferenciaram-se em várias espécies, explorando os oceanos e utilizando as praias subtropicais, tropicais e temperadas, ao redor do mundo para se reproduzir.

 

Chelonia mydas (Tartaruga Verde)

 
As tartarugas ou quelónios são répteis da ordem Testudinata, que caracterizam-se por ter o corpo protegido por uma carapaça óssea. Enquanto alguns permaneceram em ambientes terrestres, outros procuraram água doce ou aventuraram-se para o mar, evoluindo e diferenciando-se de outros répteis.
 
Somente sete espécies de tartarugas marinhas sobreviveram:
 
Tartaruga de Couro   Tartaruga Cabeçuda ou Comum   Tartaruga Verde   Tartaruga de Pente   Tartaruga  Oliva   Tartaruga de Kemp   Tartaruga de carapaça achatada
           
Dermochelys coriacea   Caretta caretta   Chelonia mydas   Eretmochelys imbricata   Lepidochelys olivacea   Lepidochelys kempii   Natator depressus
 
 
Espécies de vida longa, de comportamento singular, migradoras em potencial e excelentes navegadoras, nadam centenas de quilómetros durante as migrações entre as áreas de alimentação e as de reprodução e passam a maior parte da vida no mar.
 
 
           
Actividades Diárias    Acasalamento     Desova     Nascimento     Orientação    Hábitos alimentares   Relações ecológicas
 
 
As ameaças que defrontam são numerosas. Por serem animais altamente migratórios, passam diferentes fases de vida em mais de um país e até mesmo continente. Por isso, a sua proteção depende de acções conjuntas e contínuas, cooperações internacionais, capazes de protegê-las desde o nascimento até ao amadurecimento, passando por áreas onde se alimentam. Apenas um a dois em mil filhotes na natureza chegam à idade adulta, cerca de 30 anos depois. O nosso grande desafio é evitar a extinção das tartarugas marinhas, através da protecção, pesquisa e de programas de inclusão das comunidades costeiras.