Alterações Climáticas

As alterações climáticas são presentemente uma das maiores ameaças à diversidade de vida no Planeta, juntamente com a destruição de habitats, poluição e proliferação de espécies invasoras.

3631399667_b96621b6b9_z

© Pedro Ferreira

As alterações climáticas são presentemente uma das maiores ameaças à diversidade de vida no Planeta, juntamente com a destruição de habitats, poluição e proliferação de espécies invasoras.

Conhecendo o comportamento e a biologia das tartarugas marinhas, podemos prever os impactos que as alterações climáticas terão na sobrevivência das tartarugas marinhas. Perda das áreas de desova e alimentação devido à subida do nível do mar, causado pelo derretimento das calotes de gelo nos pólos; aumento da temperatura da areia, que poderá provocar o nascimento de um maior número de fêmeas, uma vez que temperaturas mais elevadas tendem a produzir mais fêmeas, provocando o desequilíbrio das populações de tartarugas marinhas; aumento da temperatura dos oceanos, que poderá provocar alterações na época de desova (que já se tem verificado em algumas populações no mundo); lixiviação dos corais, o que afectará algumas espécies, em particular a Tartaruga de Pente; alterações nas correntes oceânicas, que poderão modificar os comportamentos migratórios e os hábitos alimentares das tartarugas marinhas.

É um cenário desagradável, mas um perigo real. Um ambiente saudável é importante para a sobrevivência das tartarugas marinhas e de todos os seres vivos do planeta. Um ligeiro aumento da temperatura, ainda que pareça pequeno e insignificante poderá ser catastrófico para as tartarugas marinhas, influenciando directamente a determinação do sexo dos filhotes, a atividade no interior do ninho, o tempo de incubação dos ovos, a emergência dos filhotes, a alimentação, o crescimento, a hibernação, a distribuição geográfica da espécie ou até a extinção.