O Programa Tatô, nome pelo o qual é localmente conhecida a tartaruga oliva (Lepidochelys olivacea), dedica-se à proteção, conservação e estudo das populações de tartarugas marinhas que ocorrem na ilha de São Tomé. Este programa foi desenvolvido e implementado pela ONG Nacional Mar, Ambiente e Pesca Artesanal (Marapa) em 2003, e hoje em dia é gerido em conjunto com a Associação para a Proteção, Pesquisa e Conservação das Tartarugas Marinhas nos Países Lusófonos (ATM). Esta parceria pretende contribuir para melhorar o estado de conservação das tartarugas marinhas, através do desenvolvimento de ações de proteção, de educação ambiental, reforçar a capacidade e a autonomização dos parceiros e das equipas nacionais, bem como aconselhar e acompanhar os atores nacionais, como parceiros governamentais, públicos e privados.