Acasalamento

F04-1_B_05

Machos e fêmeas migram para as áreas de reprodução, a cópula acontece no mar. Durante a corte, a fêmea pode exibir comportamento de recusa, mantendo-se na posição vertical, exibindo o plastrão ao macho. No entanto, tal comportamento pode apenas retardar a cópula, já que os machos não desistem de perseguir a fêmea. Quando a fêmea deixa de resistir e aceita o macho, estes agarram a fêmea com as barbatanas anteriores, auxiliados pelas unhas mais longas e o namoro começa com algumas mordidas no pescoço e ombros. A cópula pode durar várias horas.

A fecundação é interna e uma fêmea pode realizar uma média de três a cinco desovas para uma mesma temporada de reprodução, com intervalos médios de 10 a 15 dias. A fêmea pode copular com vários machos, assim como os machos podem copular com várias fêmeas.

Após a cópula os machos migram para áreas de alimentação e as fêmeas dirigem-se para as praias de desova.

Sabe-se também que as fêmeas têm a capacidade de armazenar o sémen dos machos no oviducto (assim como acontece com outras espécies de répteis, e.g. as serpentes), procedendo a fecundação dos óvulos, um ou dois meses depois.